Loading...
 

Click to Watch in HD > Chico Buarque - O Meu Amor / Teresinha (Ao Vivo) - Na Carreira

Watch Vídeo oficial da faixa O Meu Amor / Teresinha (Ao Vivo), do DVD Na Carreira.O artista vasculhou os mais de 400 títulos de sua obra, tão vasta em gêneros quanto em assuntos, para chegar à lista final de 30 músicas. O resultado é um show pautado por canções de todas as fases de sua carreira, do início dos anos 60 até hoje, amarradas entre si por afinidades musicais ou temáticas.Compre o álbum:http://apple.co/2qkKIaVSiga Chico Buarque no Spotify:http://spoti.fi/2rE6g6iInscreva-se no canal da Biscoito Fino:https://www.youtube.com/user/biscoito...Siga a Biscoito Fino nas redes sociais:https://www.facebook.com/gravadorabis...https://www.instagram.com/biscoito_fino/O Meu Amor / TeresinhaAutoria: Chico BuarqueLetra:O Meu AmorO meu amor tem um jeito manso que é só seuE que me deixa louca quando me beija a bocaA minha pele toda fica arrepiadaE me beija com calma e fundoAté minhalma se sentir beijadaO meu amor tem um jeito manso que é só seuQue rouba os meus sentidos, viola os meus ouvidosCom tantos segredos lindos e indecentesDepois brinca comigo, ri do meu umbigoE me crava os dentesEu sou sua menina, viu? E ele é o meu rapazMeu corpo é testemunha do bem que ele me fazO meu amor tem um jeito manso que é só seuQue me deixa maluca, quando me roça a nucaE quase me machuca com a barba mal feitaE de pousar as coxas entre as minhas coxasQuando ele se deitaO meu amor tem um jeito manso que é só seuDe me fazer rodeios, de me beijar os seiosMe beijar o ventre e me deixar em brasaDesfruta do meu corpo como se o meu corpoFosse a sua casaEu sou sua menina, viu? E ele é o meu rapazMeu corpo é testemunha do bem que ele me fazTeresinhaO primeiro me chegouComo quem vem do florista:Trouxe um bicho de pelúcia,Trouxe um broche de ametista.Me contou suas viagensE as vantagens que ele tinha.Me mostrou o seu relógio;Me chamava de rainha.Me encontrou tão desarmada,Que tocou meu coração,Mas não me negava nadaE, assustada, eu disse não.O segundo me chegouComo quem chega do bar:Trouxe um litro de aguardenteTão amarga de tragar.Indagou o meu passadoE cheirou minha comida.Vasculhou minha gaveta;Me chamava de perdida.Me encontrou tão desarmada,Que arranhou meu coração,Mas não me entregava nadaE, assustada, eu disse não.O terceiro me chegouComo quem chega do nada:Ele não me trouxe nada,Também nada perguntou.Mal sei como ele se chama,Mas entendo o que ele quer!Se deitou na minha camaE me chama de mulher.Foi chegando sorrateiroE antes que eu dissesse não,Se instalou feito um posseiroDentro do meu coração.




Loading...
 
Loading